Comunicação ›› Divulgação

Tendências do Setor para 2019

Durante o último trimestre do ano, as empresas de Transporte começam a avaliar as necessidades de formação e consultoria que vão de encontro aos seus objetivos estratégicos e operacionais do ano seguinte. A formação diferencia profissionais e resultados, devendo ser ministrada por entidades focadas na melhoria do desempenho e com competências para potenciar resultados. Por reconhecer a ANTRAM como entidade formadora de referência no Setor dos Transportes, as empresas começam a definir as suas prioridades de formação para 2019. A ANTRAM prevê três formações e uma auditoria que vão marcar a tendência do Setor.

1.Condução Eficiente
 
Uma das maiores preocupações das empresas do Setor do Transporte consiste em reduzir os consumos energéticos dos veículos e diminuição da sinistralidade rodoviária. Torna-se fundamental alertar os colaboradores para técnicas de condução mais eficientes e seguras. O ano de 2019 ficará assim marcado por uma forte aposta em formação direcionada para a mudança de comportamentos de condução, como é o caso da Condução Eficiente, que inclui técnicas de condução defensiva, económica e ambiental, de modo a diminuir o consumo de energia e melhorar a eficiência do veículo.

A formação em Condução Eficiente distingue-se pela monitorização dos comportamentos de condução, e uma análise detalhada do perfil individual de condução em situação real de tráfego, através de um equipamento eletrónico de análise que emite relatórios individuais por sessão de condução, medindo parâmetros essenciais como tempo de percurso, consumo médio e estilos de condução.

O curso permite uma avaliação inicial do comportamento de condução do motorista, detetando oportunidades de melhoria, posteriormente exploradas através do coaching ativo que permite uma formação em contexto real de trabalho. O formador acompanha os motoristas durante a sua atividade, aconselhando a cada momento quais os comportamentos que devem adotar para reduzir o consumo de combustível e aumentar a segurança rodoviária. Assim, a formação em Condução Eficiente deverá ser o melhor investimento que poderá fazer ao longo de 2019, com a qual poderá cortar o consumo de combustível da sua frota em mais de 15%.


 
2.Auditoria Energética

Ao abrigo do Decreto-Lei n.º 58/82, de 26 de fevereiro, e da Portaria 228/90, de 27 de março, uma empresa que possui uma frota própria com consumos de combustível superiores a 500 tep (o equivalente a 550 mil litros de gasóleo/ano) é considerada “consumidora intensiva de energia”, estando assim sujeita às obrigações legislativas da eficiência energética na sua frota de transportes, ao abrigo do Regulamento da Gestão do Consumo de Energia para o Setor dos Transportes (RGCE). O principal objetivo consiste em reduzir o impacto ambiental e educar os recursos para práticas mais eficientes com vista à redução do consumo energético e custos operacionais.
 
À luz deste enquadramento legislativo, qualquer empresa que ultrapasse os 550 mil litros de gasóleo durante 2018, terá que, obrigatoriamente, realizar uma Auditoria Energética e um Plano de Racionalização de Consumos de Energia, que estabeleça metas de redução por períodos de três anos. A empresa deverá requerer à DGEG – Direção Geral de Energia e Geologia, durante o 1º trimestre do ano seguinte, a aprovação do Plano de Racionalização do Consumo de Energia, realizado por um técnico devidamente creditado para o efeito.
 
 
O Gestor de Tráfego tem um papel-chave e abrangente que se transmite em três desafios exigentes: Negócio (Qual o contexto em que atuamos?), Pessoas (Como interagimos com os outros?), e Operação (De que forma fazemos o nosso trabalho?). Devido à crescente complexidade nas funções de gestão de tráfego, as empresas têm a necessidade em dotar este público-alvo de competências essenciais para um desempenho de excelência.

A formação em Gestão de Tráfego vem colmatar estas necessidades, sendo essencial para quem pretende iniciar a sua carreira profissional como gestor de tráfego, bem como quem já a realiza todos os dias e necessita de consolidar e obter novos conhecimentos na área. Desde o seu lançamento no final de 2016, é já um dos cursos mais procurados do Setor – tendência que se manterá nos próximos anos.
 
4.CAM e ADR

O último semestre de 2018 ficou marcado pelo novo Contrato Coletivo de Trabalho (CCTV) do setor, assinado entre a ANTRAM e a FECTRANS, que integra uma revisão global de questões e exigências essenciais ao Setor, nomeadamente a procura por uma maior profissionalização do mesmo. Com a Cláusula 78 do CCTV, as entidades empregadoras obrigam-se a suportar os custos de manutenção das certificações legais de acesso à profissão dos seus trabalhadores, como é o caso das renovações do Certificado de Aptidão para Motorista (CAM) e da formação para o transporte de mercadorias perigosas (ADR).

A procura na ANTRAM, por formações que garantem o acesso à profissão, passa por dotar os motoristas com conhecimentos teóricos e práticos essenciais para operar num setor onde a segurança rodoviária é imperativa. A ANTRAM agiliza este processo através da sua proximidade geográfica que permite uma uniformização do curso a nível nacional, em dias úteis ou sábados e gestão administrativa do processo que permite agilizar a formação de todos os colaboradores da empresa.
 
Para mais informações sobre as tendências para 2019, contacte dircomercial@antram.pt.
 


« voltar